Up on the Roof (song)

esta secção necessita de citações adicionais para verificação. Por favor, ajude a melhorar este artigo adicionando citações a fontes confiáveis. O material não recolhido pode ser desafiado e removido.
Find sources: “Up on the Roof” song-news * newspapers · books * scholar * JSTOR (March 2018) (Learn how and when to remove this template message)

In the UK the Drifters’ version of “Up on the Roof” failed to reach the Top 50, being trumped by two local cover versions, sung by, respectively, Julie Grant and Kenny Lynch. A versão de Kenny Lynch, que em grande parte replicou o original dos Drifters, foi o mais bem sucedido, alcançando o número 10 no Reino Unido. A versão de Julie Grant, que alcançou o número 33 no Reino Unido, reinventou a canção como um número de Merseybeat; seu produtor Tony Hatch seria mais tarde inspirado para escrever o hit icônico de Petula Clark “Downtown”, que foi originalmente concebido como sendo o estilo dos Drifters, com quem Hatch esperava colocá-lo.outras primeiras gravações da canção foram feitas por Little Eva (álbum Lllloco-Motion / 1962) e Jimmy Justice (álbum Smash Hits de Jimmy Justice/ 1963). Também Richard Anthony escreveu letras francesas para a canção, que ele gravou como “Sur le toit” para seu EP de 1963 intitulado En Écoutant La Pluie.a banda de garagem de New Jersey The Sidekicks remade “Up on the Roof” para servir como B-side para seu hit regional de 1966, “suspeitas” (número 55), com a faixa sendo incluída no álbum da banda Fifi The Flea. Outra banda de garagem the Cryan ‘Shames remade” Up on the Roof ” para seu álbum de 1967 A Scratch in the Sky; lançada como single, a faixa alcançou o número 85 nacionalmente na primavera de 1968, em grande parte com a força do sucesso local na cidade natal da banda, Chicago.Laura Nyro gravou “Up on the Roof” para seu álbum de 1970 Christmas and the Beads of Sweat e um single, dando a Nyro sua única aparição Hot 100 com um pico de número 92. A versão de Nyro retarda o ritmo da canção e também omite as letras cantadas para a primeira das três seções de Ponte originais. Também em 1970, a própria Carole King gravou “Up on the Roof” para o seu escritor de estreia a solo, a partir do qual foi lançado como single.James Taylor, que havia tocado guitarra no cover de “Up on the Roof” de Carole King e que havia feito um dueto com King sobre a canção em seu concerto no Carnegie Hall em 18 de junho de 1971, remade “Up on the Roof” para seu álbum Flag de 1979. Lançado como o primeiro single do álbum, a versão de Taylor De “Up on the Roof” chegou ao número 28 em julho de 1979. Apesar de Taylor chegar ao número 11 em 1981 com seu dueto com J. D. Souther intitulado “Her Town Too”, “Up on the Roof” continua sendo o último hit Top 40 De Taylor como um solista até à data. Reorganizado em torno da marca registrada de Taylor tocando guitarra acústica, sotaques vocais e interjetões, sua versão de “Up on the Roof” tornou-se um grampo de concerto, muitas vezes com uma paisagem urbana iluminada por estrelas apresentada atrás do palco a meio do número, enquanto sua banda tocava notas ascendentes uníssono para ecoar o tema da canção. Ele foi incluído em seu álbum ao vivo de 1993 (ao vivo) e sua compilação de 2000 Greatest Hits Volume 2 e foi tocada no Concerto para a cidade de Nova York após o 11 de setembro de 2001, ataques terroristas, onde ele introduziu-o como representando seus sentimentos positivos e dos escritores para a cidade. Taylor e King tocaram a canção juntos, trocando de um arranjo para o outro, como o primeiro bis durante os shows da turnê “Troubadour Reunion Tour” de 2010.

“Up on the Roof” teve sua encarnação mais bem sucedida no Reino Unido através de um remake de 1995 por Robson& Jerome lançado como um duplo a-side juntamente com seu remake de “I Believe.”Seu arranjo se aproximou do original dos The Drifters; o vídeo musical que acompanha mostrou a dupla cavando no topo de um arranha-céu midtown Manhattan. O single alcançou o número 1 no UK Singles Chart e vendeu 890.000 cópias no Reino Unido. Além disso,” I Believe “/” Up on the Roof ” alcançou o número 3 na Irlanda e o número 45 nos Países Baixos.

“Up on the Roof”, também foi gravada por Anita Harris (álbum de pelucia/ 1969), Kenny Rankin (álbum de Família/ 1969), Aurora (álbum Candida/ 1970), o Lettermen (álbum Reflexões/ 1970), Ike e Tina Turner (álbum Deixe-Me Tocar Sua Mente/ 1973), o Grama de Raízes (álbum de Raízes de Grama/ 1975), Viola de Testamentos (álbum Se Você Pudesse Ler a Minha Mente/ 1980), a meia-calça (álbum A Nylons / 1983), as Meninas da Capa (álbum de Nós não Pode errar/ 1989), Neil Diamond (álbum Em Cima Do Telhado: Músicas Do Brill Building/ 1993), Heather MacRae (álbum de eu Escolher o Amor/ 2003), Peter Cincotti (álbum Na Lua/ 2004), Dobra & Patti (álbum de Um Dom de Amor/ 2004), Marcia Hines (álbum Marcia Canta, Tapeçaria), Frank Ifield, Billy Joe Real, e II D Extrema no seu auto-intitulado de estréia, em 1993, e, atingindo o número 13 no R&B Billboard music chart. Também o remake disco da Canção de Viola Wills apareceu nas paradas holandesas da Bélgica alcançando o número 23 em setembro de 1980. “Up on the Roof” ainda é cantada por Rockapella em muitos de seus concertos e aparece no álbum ao vivo em Concerto (2001).Bruce Springsteen e A E Street Band regravaram a canção ao vivo em 1975 durante a turnê inicial Born to Run.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.